Série Casamento – Parte III – Tradições

42153546_734173433589991_6011208082560909312_o

Olá a todos!

Em primeiro lugar, quero notar que tudo o que é escrito neste post é apenas a minha opinião, tendo direito a ela,como todos têm direito de ter a sua própria opinião, de concordar ou não, mas mantendo sempre o respeito para com os outros. Uma tradição é um símbolo/dogma/hábito e não uma obrigação.

Quando falamos em casamento, existem uma série de tradições ou costumes que geralmente não se põem em questão. É assim porque é assim, porque se faz assim, porque sempre assim foi.
Pessoalmente, gosto de algumas tradições relacionadas com os casamentos e não tanto de outras. Agrupei as tradições de que vos quero falar em três categorias:

– Tradições regionais;
– Tradições relativas à indumentária;
– Tradições do próprio dia.

Tradições regionais:

ARROZ-DOCE
No local onde cresci e vivi até há cerca de dois anos, existe o costume de se entregar arroz-doce aos habitantes, tanto aos que vão ao casamento, quanto aos que não vão. É um miminho para as pessoas, que costumam aderir e quando ouvem falar em casamento até dizem “Não te esqueças que também quero um prato de arroz-doce”.
O dia, geralmente duas a três semanas antes do casamento, é preenchido. Existem muitos requisitos para este arroz-doce: O leite tem de se ir buscar a uma leitaria que fica um pouco longe, o arroz tem de ser da marca X e tem de se contratar a cozinheira. Mas não é só isso. São quilos e quilos de arroz que têm de ser feitos e distribuídos no mesmo dia, pois as pessoas gostam de receber o prato ainda quentinho, acabado de fazer. A entrega começa de manhã cedo e prolonga-se, muitas vezes, até à hora de jantar. Eu não fazia ideia da logística necessária e do cansaço que ia gerar. Para isto é necessária a ajuda da família mais chegada e de pessoas vizinhas. Em especial (como manda a tradição) as raparigas solteiras da terra ajudam sempre na entrega. E aqui tenho de lhes agradecer muito, porque embora tenha lá vivido quase toda a minha vida, não sabia onde todas as pessoas moravam, por não ter muito hábito de ir a casa deles.

JANTAR DE DESPEDIDA DE SOLTEIROS
Ora, aqui está uma tradição à qual eu torci o nariz, mas acabei por entrar “na onda”.
Lá na terra, quando alguém se casa, os pais organizam um jantar (numa espécie de centro cultural e recreativo que existe), para todos os habitantes, amigos mais chegados, família próxima e padrinhos de casamento. O jantar é informal e é aqui que a maior parte das pessoas que vivem na zona conhecem (no meu caso), o noivo. Se bem que acabam por não ter grande oportunidade, pois passamos o dia a cozinhar, pôr mesas, decorar e durante o jantar ajudamos a que nada falhe, que haja sempre pão, sumo e vinho nas mesas. Foi cansativo e não pudemos dar muita atenção às pessoas, mas valeu a pena.

ARCO
Numa aldeia, como na generalidade das aldeias, onde ainda é muito habitual as noivas (e os noivos) só saírem de casa dos pais depois do casamento, é costume que na noite anterior as senhoras construam um arco à volta da porta da entrada de casa da noiva, ficam na conversa com a noiva, a noiva vai dormir e no dia seguinte sai por aquela porta, passando por baixo do arco – que fica sempre lindíssimo e dá fotos muito bonitas.
Aqui a situação já complicou um pouco e não foi fácil. Eu não quis o arco. Eu já não morava lá, não ia sair de lá na manhã do casamento e simplesmente não me identifico com esta prática.

Tradições relativas à indumentária:

NOIVA
A noiva tem de ir de branco, usar liga, uma coisa azul, uma emprestada, uma nova, etc.
A noiva não tem de ir de branco e felizmente as pessoas já não julgam quando a noiva usa uma cor mais ousada, até preto.
Vi há uns dias uma noiva de vestido preto, uma rapariga que sigo no youtube há algum tempo e estava lindíssima. Fica aqui uma imagem e podem clicar aqui para verem o vídeo do casamento deles.

Captura de ecrã no 2018-10-06 21-42-41

Ninguém tem de usar liga, nem uma coisa azul, uma coisa nova, emprestada, nem nada disso. Eu usei liga e fui de branco, mas não por ser tradição. Apenas porque me via de noiva assim, tal como há muitas noivas atualmente com vestidos cor-de-rosa ou vermelhos. É o dia em que temos de nos sentir noivas.
Ah, e não tem de ser de vestido. Já tenho visto “vestidos” com duas peças (top e saia) lindíssimos, bem como macacões de noiva!
O meu conselho a todas as noivas é que usem aquilo que quiserem e que se sintam bem.

NOIVO:
Nesta matéria não tenho muito conhecimento das tradições ou regras, mas o noivo levou colete e gravata com um nó de noivo e um relógio de bolso que ofereci.
PS: Estava lindo!

CONVIDADOS:
Não podem usar branco nem preto!
Não podem? Porquê?
Não percebo porque não podem usar preto. “Ai, é uma cor triste”… Não, não é. É uma cor como todas as outras, que usamos no dia-a-dia.
Quanto ao branco… É a mesma coisa, podem ir de branco, desde que não vão vestidas de noiva.
Não foi a irmã da Kate Middleton que foi de branco ao casamento da irmã? Não parecia uma noiva, não tirou as atenções da irmã e acho que estava muito bonita.
Tradições do próprio dia:

OS NOIVOS NÃO PODEM DORMIR JUNTOS
Não podem? Porquê? “Dá azar”.
Espanta-me que a maior parte das respostas que obtenho quando me pergunto o “porquê?” é: “Dá azar”.
Nós dormimos juntos na noite anterior, exactamente como dormimos na semana anterior, no mês anterior, no ano anterior….

OS NOIVOS SÓ SE VÊM NA CERIMÓNIA
Não é bem assim.
Embora tenhamos dormido juntos, não nos vestimos na mesma casa.
Mas também não nos vimos apenas na cerimónia (algo que muitos dos convidados ainda não sabem pois não temos o vídeo e as fotos ainda), mas nós escolhemos um sitio em que só nós, os pais e os padrinhos sabiam, bem como os fotógrafos e videógrafos sabiam e quando saímos de casa, fomos primeiro a esse local e fizémos uma sessão de first-look. Vimo-nos vestidos de noivos quase sozinhos, num local bonito e foi um momento bastante agradável. Não nos privou do momento especial em que a noiva entra para a cerimónia, até foi melhor. Tirou-nos a pressão de cima. Antes da cerimónia ainda estivémos juntos na Quinta com os padrinhos a beber um copo de vinho.
Foi diferente do normal? Foi contra a tradição? SIM, porque quisemos e foi uma escolha muito acertada!
NOTA: Sobre tradições relativas à pessoa X pagar isto ou aquilo (exemplo: os pais da noiva pagam o casamento, a madrinha paga o vestido, etc) não me vou pronunciar muito além de dizer que, para mim, ninguém tem obrigação de pagar nada aos noivos. Recebemos ajudas e mimos, de familiares e dos padrinhos, mas nada foi pedido ou por ser obrigação. A todos eles, ficaremos eternamente gratos, foram uma ajuda enorme e não nos vamos esquecer dos esforços que foram feitos por eles.
Até já!

Ela

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s